domingo, 17 de fevereiro de 2013

O Esquadro e o Compasso

Este trabalho pretende abordar os Símbolos do Esquadro e do Compasso esboçando uma explicação do que venha significar estes Símbolos para o trabalho maçônico. Na maçonaria estes Símbolos encontram-se sempre associados. Descrevo então, cada um separadamente e depois o que representam juntos.
O Esquadro simboliza o juízo, a retidão, pois forma um ângulo reto e nos ensina a retidão em nossa vida, simboliza ainda a equidade, a estabilidade, a conexão entre o inferior e o superior. Pode simbolizar a Matéria, ou a Terra. Costuma-se dizer que o Maçom tem sua vida pautada pelo Esquadro, pois a construção do Templo interior depende do Esquadro, pois a Pedra Bruta precisa ser cinzelada para tornar-se cúbica. O Esquadro simboliza a equidade pois é formado pela união do vertical e do horizontal, simbolizando a união do ativo com o passivo. É a Joia do V:.M:. porque este deve ser um Maçom J:. e reto da Loja. O Esquadro é uma das seis Joias da Loja. Nos três Graus simboliza a retidão e disciplina maçônica. O Apr:. usa o Esq:. como S:. e como M:., formando Esq:. com os pés.
O Compasso simboliza a prudência, o espirito e seu poder sobre a Matéria. É o reconhecimento da Unidade Interior. Indica-nos o circulo, ou seja, o Universo, e o movimento. Com ele medimos cada ponto até fechar a circunferência, devemos ser o ponto no centro da circunferência, onde fixamos uma haste do compasso e com a outra traçamos o círculo em nós mesmos. É também Símbolo do Céu. O Compasso serve ainda para transferir medidas. O círculo traçado por ele pode-se comparar com o infinito, e por analogia entendermo-lo como Espírito. O Compasso é formado por duas hastes, o movimento das hastes representa os modos de raciocínios que se adequam as circunstâncias. Representa a dualidade, como também a União.
No grau do Apr:. o Compasso cobre o Esquadro com suas duas hastes, representando ao neófito sinceridade e confiança, pois ambas são consequências da equidade e da retidão. O Compasso simboliza o Espírito e o Esquadro a Matéria, no grau do Apr:. isso nos quer dizer que o Matéria domina o Espírito, porem o Espírito deve dominar a Matéria. O trabalho simbólico de cada Ir:. Maç:. é a construção de seu Templo Simbólico, e para isso deve usar estas ferramentas. Sem o Compasso e o Esquadro (entre outras ferramentas) não poderemos construir nosso T:. J:. e P:.. O Maç:. não é aquele que somente foi Iniciado, ou que usa um avental ou ostenta comendas no peito, o verdadeiro Maç:. é aquele que edifica o T:. sagrado dentro de si. O Ir:. que não entende isso, ou não pratica os preceitos de nossa tão grande ordem não é um Maç:..
       Estes símbolos devem representar a todos os IIr:., o nosso trabalho, pois enquanto dominados pela materialidade, permitir que o Espirito (que abre-se sobre nós, como as hastes do Compasso) aja e possa transmutar nossos metais vis no ouro dos filósofos. Oculto nestes símbolos está o selo de Salomão, no qual os IIr:. Templários usavam com os mesmos propósitos. O triangulo para cima e negro sendo o nosso mundo material e escuro, e o triangulo para baixo e branco sendo o Espírito e a Luz. O triangulo negro aponta para cima porque aspira ao alto, ao Espírito. O branco abre-se e ilumina o que está em baixo. Observo a retidão do Esquadro, e a sigo, pois sua linha reta me levará aos braços abertos do Espírito. Porem não faço isso apenas para mim, faço para o Ordem e para a Humanidade, pois chegando a Luz, serei mais um a Iluminar e a mostrar o caminho da Porta do T:. ao profano que busca, assim como eu fui. Com essas ferramentas irei talhar a minha Pedra Bruta, a transmutarei em Pedra Cúbica, tornando-a útil a meus IIr:..

Nenhum comentário:

Postar um comentário